quinta-feira, 16 de novembro de 2017

DIAS MÁGICOS 2ª quinzena de NOVEMBRO

Esclareço que estas comemorações fazem parte da cultura de algum povo, em alguma época e estão historicamente, segundo JUNG, no Inconsciente Coletivo...Sendo assim, relembrar, homenagear ou fazer um ritual, é não deixar morrer a história, os costumes, a cultura, as tradições populares ou a crença de nossos antepassados!

Relembrando os elementos de Novembro...
Pedra - Topásio
Flor - Papoula negra
Plantas - Hera, Junco, Cicuta, Tulasi (manjericâo)
Árvore - Álamo
Lema - Purifique-se! 
Prepare-se para novos desafios e mudanças em sua vida!

Sta Gertrudes
- maior mística da Idade Média.

Dia 16 de Novembro - dia de Santa Gertrudes e Noite de Hécate
Santa Gertrudes, foi uma das maiores místicas da Idade Média, da região da Saxônia. Foi a responsável pela propagação da celebração litúrgica do Sagrado Coração de Jesus.

                  Hécate, rainha da noite                   
  
Hécate, Rainha da Noite e Senhora das Bruxas da mitologia grega, pode ser nossa grande aliada para superarmos obstáculos.
Ritual:- Escolha um anel de prata e consagre-o na chama de uma vela (marrom, se possível). Mentalize todos os problemas que deseja eliminar (cuidado para não desejar mal a alguém). Use o anel até vencer seus desafios.

Sta ISABEL da Hungria.

Dia 17- Dia de Santa  Isabel da Hungria e de Santa Hilda
Santa Isabel era filha de André II, rei da Hungria. Casada com duque Luís IV da Turíngia- Alemanha-, ficou viúva aos 20 anos com três filhos, perdendo o marido em uma cruzada. Abandonada pela família do marido, ficou na miséria e só voltou à corte quando os cruzados que acompanhavam seu marido voltaram.
Como havia trabalhado como voluntária num hospital de leprosos, faleu jovem aos 24 anos.

Sta Hilda, a padroeira das profissionais, modernização da deusa nórdica Holda.
Holda ou Holla, era antiga deusa da Terra e da Natureza, padroeira das mulheres e dos assuntos domésticos.

Ardvi Sura,
deusa das estrelas

Dia  18 - Dia de Ardvi Sura
Ardvi Sura é a deusa persa das estrelas. Ritual-Pegue um copo de cristal e encha-o com água da fonte (mineral). Deixe que a estrela mais brilhante que você vir reflita-se nele, enquanto conversa com Ardvi Sura. Tome a água e receberá as bençãos da deusa, que lhe fornecerá uma luz especial que a acompanhará a partir de então.

Dia 19- Bharathi Dwitya.
O festival hindu dos irmãos e irmãs,celebrando o deusYama e a deusa Yami ou Yamuna.

A Virgem de Guadalupe

Dia  20 - Virgem de Guadalupe; Combate ao fumo e Dia da Consciência Negra no Brasil.
 No México, segundo a tradição, a Virgem apareceu em 1531, para Juan Diego, um humilde camponês índio, na forma de uma jovem mulher de pele escura. Para convencer de sua aparição, a Virgem imprimiu sua imagem numa capa do camponês.

Leia mais sobre Guadalupe: 
https://magiadailha.blogspot.com/2017/11/virgem-de-guadalupe.html


Dia 20/11 também é o Dia Internacional de abandonar o ato de fumar. Participe dessa campanha; se você é fumante e tem dificuldade de largar o vício; peça ajuda a Virgem de Guadalupe, inúmeros são os casos de milagres de Nossa Mãe.



E ainda dia 20/11 O Dia Nacional da Consciência Negra no Brasil e é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira.

Deusa celta Cailleach

Dia 21/22 -  deusa celta Cailleach e entrada do Sol no signo de Sagitário.
Celebração da deusa Cailleach, a senhora da noite e da morte. Regia o céu, a Terra, o Sol e a Lua; o tempo e as estações; a Vida e a Morte.

Entrada do Sol no
aventureiro signo de Sagitário.

Dia 21/22 (dependendo de algumas variações de o ano à ano)  o SOL entra no signo de Sagitário. Regidos por Júpiter, os sagitarianos com graça e leveza, procuram continuar a escalada evolutiva astrológica começada por Escorpião. Com espontaneidade e otimismo, amantes da Liberdade, buscam possibilidades para responderem a seus questionamentos mais profundos, em relação as suas inquietações que, as vezes, os fazem esquecerem do caminho que os levaria "de volta pra casa!" Este é o signo da Ação, do faço, ajo e depois penso...

Sta CECÍLIA 
 padroeira dos músicos.

Dia 22- Dia de Santa Cecília e de Ártemis/Diana.
Santa Cecília, nobre cristã que viveu em Roma no século III. Foi martirizada junto com o marido e o cunhado, a quem tinha convertido aos cristianismo pela música e o canto; devido sua fé cristã.
Tornou-se padroeira dos música e do canto.
Dia dedicado também, a deusa grego-romana Ártemis/Diana, celebrando a entrada do Sol no signo de Sagitário.

Deusa Konohana Sakuya hime

Dia 23- Konohana Sakuya hime.
No japão, celebração shinjosai dedicado a deusa Konohana Sakuya hime, deusa das cerejeiras.
O nome desta deusa significa "senhora que faz as árvores florescerem"; regente da Terra, da natureza, do fogo e das cerimônias.


Ísis e Osíris deuses egípcios
dos relacionamentos.
 
Dia 24 - Festival de Luzes de Ísis e Osíris
No Egito, hoje se presta uma homenagem a Ísis e Osíris, em outro festival que celebra a união desses dois deuses.
Ritual- Boa hora para tentar desfazer o amargo de uma relação que terminou de maneira ruim. Acenda duas velas brancas unidas por uma linha branca e peça aos deuses que desfaçam esse mal-entendido e tragam harmonia e paz à relação.

Sta CATARINA de Alexandria.

Dia 25- Santa Catarina de Alexandria e festa de Gaia.
Santa Catarina, que viveu no Egito no séc. III d.C. é uma das santas mais populares na história da igreja cristã. Foi martirizada junto com os 50 maiores sábios do Egito, em defesa a sua fé cristã.

Gaia ou Gea, era a deusa grega da Terra.
Ritual:- Hoje honre Gaia, nossa Mãe Terra, assumindo o compromisso de colaborar na manutenção do equilíbrio ecológico e planetário.

Crie um portal mágico em seu jardim,
sua casa ou apartamento. 

Dia 26 - Dia do PORTAL de NOVEMBRO
Ritual-Hoje, eleja um lugarzinho especial de sua casa ou jardim para ser seu portal particular. Consagre-o com incenso de alecrim e mentalize os pequenos seres mágicos entrando e saindo dali, pois seu poder dará força a este lugar mágico. Sempre que precisar das forças mágicas, poderá recorrer ao seu portal.

Parvazi Devi,
esposa amada de Shiva

Dia  27 - Dia de Parvazi Devi - 
Parvati era a esposa de Shiva na Índia e dividia-se em três aspectos: Lakshimi, Sarasvati e Kali.
Ritual-Celebre hoje o amor de Parvati por Shiva e atraia amor jogando pétalas de rosas ao vento.

Cúpula da Basílica de Sta Sofia- Istambul
Inaugurada pelo imperador Justiniano, em 537


Dia 28- Celebração de Chokmah ou Hoklmah - A deusa hebraica da Sabedoria e da Verdade, chamada de Sophia pelos gregos, de Sapientia pelos romanos e cristianizada como SANTA SOFIA.
Nas escrituras judaicas, Hokhmah era a personificação da Sabedoria, aparecendo como companheira de Jeová, igual a ele em poder e conhecimento. Para os gnósticos ela é a co-criadora dos Anjos e Arcanjos. Para alguns estudiosos é o Espírito Santo da Trindade Cristã.

O Dragão Interior queima seus obstáculos.

Dia  29 - Dia do Dragão Interior .
Hoje, o dragão adormecido dentro de nós desperta para queimar, com suas chamas, todos os obstáculos.
Ritual: - Acenda três velas verdes bem juntinhas e imagine seu dragão despertando e queimando todos os obstáculos de sua vida, um por um.

Mawu - a deusa criadora africana.

Dia 30 de Novembro- Dia de Mawu e, para os católicos, dia de Sto André, o discípulo.
A criadora do Universo que estabeleceu a ordem no caos.
Na África, Mawu é a criadora suprema e pode enviar-nos mensagens através dos sonhos.
Ritual-Hoje acenda uma vela cor de prata para Mawu e durma com um objeto de prata sob o travesseiro. A Deusa enviará mensagem através dos sonhos.

Sto André, segundo discípulo
de Jesus de Nazaré.

Na verdade, André foi o primeiro discípulo de Jesus, apontado como o "número dois" porque veio depois de Pedro, sendo irmão deste. Era discípulo de João Batista e, também, pescador na Galiléia. Foi para ele que, João Batista, ao lhe apresentar Jesus disse: "Eis o "Cordeiro de Deus", que tira os pecados do Mundo!". André passou a seguir Jesus.

_____  ***  _____  

Compilado por Geni Mafra Souza

Fontes de pesquisa:
- FAUR, Mirella - O Anuário da Grande Mãe- editora Gaia, 2º edição, 2001, São Paulo, SP.
- Calendário Wicca, editora Pensamento, diversas edições, São Paulo, SP.
- Almanaque do Pensamento, editora Pensamento/Cultrix Ltda, diversos edições, São Paulo, SP

Principais sites consultados:

Imagens da net

Terapeuta: Geni Mafra Souza
Joga Tarô Terapêutico, Runas, I Ching e
Tarô de Florais de Bach para aconselhamento.
Mestre Reiki - Instrutora de Reiki Usui Tradicional.
Facilitadora de Renascimento pela 
Respiração Conectada e Consciente - 


quarta-feira, 15 de novembro de 2017

MAMA ÁFRICA - Chico César - 26/10 Dia da Mãe África -

MAMA ÁFRICA é a música de maior Sucesso, entre outros, do jornalista, escritor, cantor, compositor CHICO CÉSAR, lançada em 1995, no álbum "Aos Vivos". 




Francisco César Gonçalves - Chico César - Nascido em Catolé do Rocha, interior da PARAÍBA - PB - BR, em 26 de janeiro de 1964.  

Chico Foi para a capital João Pessoa aos 16 anos onde integrou um grupo de música e poesia. Forma-se em Jornalismo pela Universidade Federal da Paraíba - UFPB -

Em 1985 radicou-se em São Paulo - SP - BR onde trabalhava como jornalista e fazia shows em bares e teatros alternativos, principalmente na Vida Madalena, reduto de artistas. Mais tarde vai pra Alemanha se apresentar, e volta decidido a se lançar na música como profissional. 

Em 1994 lança seu primeiro CD, onde sua música em homenagem a MÃE ÁFRICA virá um "hit", principalmente entre a juventude. Seu gênero musical é classificado como MPB (música popular brasileira) 

De 2011 a 2014 foi Secretário de Cultura do Estado da Paraíba. 

Hoje, sua carreira artística tem repercussão internacional. A maioria de suas canções tem alto poder de grande encanto linguístico, mostrando sua "veia" de jornalista e "poeta do povo", como foi consagrado!

gazetanews.com/compositor-de-mama-africa-chega-a-fort-lauderdale
https://pt.wikipedia.org/wiki/Chico_César

terça-feira, 14 de novembro de 2017

ESCORPIÃO - O TRANSFORMADOR - 23/10 a 21/11

Escorpião É o oitavo signo do zodíaco e o segundo de Água (depois de Câncer). O solene e intenso escorpião é regido pelo escuro Plutão, tendo Marte como co-regente o que explica suas características agressivas. 

O Temperamental ESCORPIÃO.

Simbolicamente demonstra o poder da meia-idade e a capacidade de dirigir e controlar a vida em torno de si. 
Plutão acentua  sua força, sexualidade, escuridão, profecia e profundidade; enquanto Marte empresta-lhe dinamismo e comando.

Pode ser visto como um estágio evolucionário que transmuta  as energias graciosas, sociais e diplomáticas de Libra em Filosóficas, mutáveis e ardentes de Sagitário.


PLUTÃO, sisudo, é o regente
e MARTE, guerreiro,  co-regente.

Não tem como símbolo somente o ESCORPIÃO,  mas também a ÁGUIA, representando sua ampla visão e capacidade de ir as alturas , mas também descer  as profundezas. Plutão lhe dá energias sexuais vulcânicas, e perspicácia de metamorfose e transformação.

Por Escorpião ter  relação íntima com o mundo do inconsciente, muitos foram difamados injustamente como traiçoeiros, manipuladores e  sexuais em demasia! 


Escorpião e  Águia
são seus símbolos.


O escorpião é muitas vezes uma pessoa séria, mas não busca confrontação, normalmente guarda suas armas para serem utilizadas como autodefesa. Em geral carrega consigo uma compreensão instintiva da natureza séria e trágica da vida = Morte e Renascimento!  Por outro lado tem senso de humor, e compreensão madura das ironias da vida.

Precisa treinar o desapego á pessoas e idéias. Sentem necessidade de estar sempre criando algo.


Os injustamente  difamados
escorpiões

Profissão -  Habilidade para trabalhar com: restaurantes, medicina e cura integral, com fitoterápicos, investigação, política, publicidade, administração, pesquisa e escrita...

Características positivas:-Apaixonado,alegre, assertivo, administrador, cativante, confiante, corajoso, determinado, estratégico, intuitivo, intenso, inteligente, leal, maduro, magnético, místico, observador, profundo, sedutor, sensual, senso de humor...

Características a serem trabalhadas:
Ansioso, astuto, ciumento, compulsivo, desconfiado, defensivo, dominador,  introvertido, misterioso,  manipulador, obsessivo, passional, possessivo, secreto, teimoso, vingativo...


Escorpião o incompreendido...


Elemento - Água
Estação - Outono
Símbolo - escorpião e águia.
Regente - Plutão
Modo - Sentimento
Lema - Eu Controlo
Existência - Eu Desejo
Imagem - Drama e crítica, encanto, profundidade, intensidade.
Personalidade - Introvertida


Rubi e Pérola-negra


Pedras - Rubi, Granada, Cornalina, Pérola negra e Obsidiana.  Rubi: Reforça a Fé Interior e dá Coragem. Pérola negra: Acalma nos momentos difíceis.
Cores - Preto, vermelho-sangue, cinza escuro
Áreas do corpo - Nariz, genitália, sangue, uretra e bexiga.
Plantas -  raízes, papoula negra e cicuta.
Ervas -  Hera e junco
Flores - Peônias, tulipas, Cravos e Papoulas (todas Vermelhas)
Condimento - pimenta, manjericão e estragão.
Fruta - Romã

Tulipas e Papoulas Vermelhas!


Melhores alimentos - Frutas, verduras e trigo integral.  O aipo, o quiabo, a cenoura, o pepino, a cebola e a vagem são excelentes
Incenso  e perfume - Almíscar e Azaleia
Essência - bergamota, cedro, erva-doce.
Números de sorte  - 7, 8 e 9
Animais - Peixe e gato
Elemental - Ondina, Nereida e Sereias
Talismã - Mandalas
Esporte - trilhas, canoagem, banhos de cachoeira, mergulho e surf


As misteriosas SEREIAS
são um dos elementais

Dia da semana - terça-feira
Metais -  Ferro e Plutônico
Orixá - Omolú (Obaluaiê)
Apóstolo - Judas
Deusa - Afrodite
Lazer - esporte náuticos e trilhas ecológicas
Anjo protetor - Gabriel, Cassiel e Azrael
Protetores - São Lázaro, São Judas Tadeu, Maria Madalena.
Protetores Hinduistas - Shiva, Shatkhi.
Protetores Místicos - Durga e Dionísio(Bacco)


Vermelho Vivo sua cor básica!


Conselho - Tenha a mesma constância que espera dos outros e seja menos duro consigo mesmo, quando cometer erros. Tente perdoar e esquecer. Deixe o excesso de bagagem para trás. Abrace o futuro. O cinismo e o sarcasmo são venenos para você. Esteja atento ao que é, realmente, importante na vida, ao que resiste e contém valor permanente. Tenha sempre altos objetivos, não tema o fracasso.  


Pratique o Perdão e o Desapego

Principais  Desafios  de Escorpião:
 - Aprender a lidar com Suas Obsessões e Compulsões.
- CONFIE. Deixe a luz do Sol entrar e a sua LUZ interior sair.
- LIBERTAR-SE da necessidade de  dominar  e controlar “o outro”, para dominar e controlar a si mesmo!
Não leve tudo tão à sério. Procure ser menos intransigente e aprenda a  relaxar e divertir-se.
_____   ***   _____

Compilado e postado por Gení Mafra Souza.
Fonte de consulta primária:
A Linguagem Secreta Dos Aniversários, Goldschneider - Gary;  Elffers - Joot, Editora Campus Ltda, 2ª edição, Rio de Janeiro,  RJ, BR, 1999.

Com o auxílio dos sites:


segunda-feira, 13 de novembro de 2017

As APARIÇÕES de GARABANDAL Espanha - anos 60

As aparições da Virgem Mãe, Nossa Senhora do CARMO que, mesmo a igreja católica olhou com "cuidado"; como sempre; para as quatro jovens garotas:
Maria Concepción González (Conchita) de 12 anos, órfão de pai;
- Jacintla González, 12 anos; - Maria Dolores Mazón (Loli), 12 anos;
- Maria Cruz González Garrido, 11 anos;



Como não acreditarmos nas aparições que a Virgem vem fazendo, à tantos anos em tantos lugares? As aparições se iniciaram em 1961 e a última aparição em Garabandal se deu em 12 e 13/11/1965, e nos últimos anos apenas para Conchita!

domingo, 12 de novembro de 2017

ÁRVORES SÍMBOLOS do BRASIL - Pau-brasil -

Temos duas árvores símbolos no Brasil: o pau-brasil e o ipê-amarelo, cuja flor também é símbolo nacional.
Primeiro falarei do Pau-brasil e posteriormente do Ipê-amarelo

A árvore pau-brasil ou(Caesalpinia)
 Paubrasilia echinata (2016)

O Brasil é o único país do mundo batizado em função de uma árvore e parece incrível, mas a árvore que deu nome ao nosso país, só foi reconhecida como Árvore Nacional cinco séculos após o descobrimento.

Poucos brasileiros já tiveram o privilégio de ver uma árvore de pau-brasil. Isso porque as regiões onde eram encontradas grandes quantidades desta espécie sofreram um violento processo de devastação que praticamente fez com que o pau-brasil fosse incluído na lista das espécies ameaçadas de extinção. Porém, graças a algumas iniciativas louváveis no campo da preservação do meio ambiente, nos últimos anos, nossa árvore aos poucos vai tentando recuperar seu status de cidadã brasileira.

Pau-brasil - nossa árvore símbolo
pela lei de 1978.

Foi necessária a sua quase extinção para que o pau-brasil fosse reconhecido oficialmente na história brasileira. Em 1961, o presidente Jânio Quadros aprovou um projeto declarando o pau-brasil como árvore símbolo nacional e o ipê como flor símbolo.

Em 1972  é realizado um substituto do projeto que fica no "esquecimento" e somente em 1978 o Pau-brasil foi declarado oficialmente "árvore nacional" pela lei n.º 6.607. A mesma lei instituiu o dia 3 de maio como o Dia do Pau-Brasil, e a flor do Ipê-amarelo como "flor nacional". Esta lei obriga, também, o Ministério da Agricultura a plantar viveiros da espécie pau-brasil. 

*Porém, segundo alguns sites, Nenhuma das Duas Árvores São Reconhecidas por Lei representantes do Brasil, porque os processos não "caminharam" ou ficaram parados...coisa que não seria incomum no nosso país, infelizmente!


Paubrasilia echinata ou Pau-brasil.

Após séculos de exploração desenfreada, o Pau-brasil é tão raro que maioria dos brasileiros nunca o viu. E você, o que conhece sobre o Pau-brasil?

Vamos estudar melhor a árvore que nos representa...

Antigo e raro espécime de Pau-brasil

Nome Científico: Paubrasilia echinata (2016 nova nomenclatura)
Sinonímia: Guilandina echinata
Família: Fabaceae
Divisão: Angiospermae
Origem: Brasil
Ciclo de Vida: Perene
Nome Popular: Pau-brasil, brasileto, ibirapitanga, ibirapiranga, ibirapita, ibirapitã, muirapiranga, imirá piranga, orabutã, arabutá, sapão, pau-de-pernambuco, pau-de-tinta, pau-pernambuco, pau-rosado, pau-vermelho...

As lindas e perfumadas flores amarelas
com vermelho do pau-brasil.

Como é a árvore?

O Pau-brasil pode chegar a 30m de altura, tem folhas miúdas e verde-brilhantes que nascem agrupadas. Sua época de florada ocorre do fim de setembro até meados de outubro e suas flores, formadas por quatro pétalas amarelo-ouro que rodeiam uma diferente, tingida de vermelho púrpura, emanam um perfume delicado.
Acúleos-espinhos

Seu fruto é uma vagem que libera sementes em forma de elipse. O tronco é espinhoso (acúleos) e a casca varia de pardo-rosada a pardo-acinzentada. O fruto é totalmente coberto por acúleos (espinhos) curtos e finos. A árvore tem uma vida longa e só chega à idade adulta aos 100 anos! É ótima para o paisagismo.

O corante vermelho
O tronco do pau-brasil apresenta o cerne de coloração avermelhada. O poder símbólico do vermelho remonta as civilizações mais antigas, por ser cor do sangue e do fogo, tinham também significado de vida e de destruição; de poder. Esta era a cor usada pelos Imperadores e esse foi um fato importante que levou ao corte do pau-brasil para a obtenção de sua madeira e sua resina - a brasilina (C16H14O5), substância que, após oxidação, fornece a brasileína (C16H12O5), corante vermelho natural usado para tingir tecidos de alto luxo, como o veludo, apreciado pela monarquia e pela alta corte. Esta foi a primeira atividade econômica dos colonos portugueses na recém-descoberta Terra de Santa Cruz, no século XVI.


Mapas comparativos da Mata Atlântica (5 anos atrás!)

Habitat natural e exploração

A Mata Atlântica é o habitat natural dessa árvore, mas infelizmente é muito difícil encontrá-lo na natureza. Em 1928 o Pau-brasil chegou a ser considerado extinto, quando biólogos encontraram um único exemplar no interior de Pernambuco, onde hoje fica a Estação Ecológica de Tapacurá pertencente a Universidade Federal de Pernambuco UFRP.

Em 2005, pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) identificaram na Paraíba a maior população de pau-brasil ao norte do País. A expedição encontrou mais de 100 árvores ainda intocadas num remanescente de Mata Atlântica, com 200 hectares, em Mamanguape, 60 quilômetros ao norte de João Pessoa.

Jardim Botânico de João Pessoa - Benjamim Maranhão -
antes - Mata do Buraquinho - Pb - que em novembro
de 2017 tive a Honra de conhecer...

Também no Jardim Botânico de João Pessoa (500 hectares) - que é considerado a Maior Área Verde em Ambiente Urbano dos país, parece haver algumas espécimes de pau-brasil.

 Ocorrência

Mata Atlântica, agora diminuta pela
exploração desordenada

Ao todo 1.300.000 km² ou cerca de 15% do território nacional eram cobertos por Mata Atlântica englobando 17 estados brasileiros, atingindo até o Paraguai e a Argentina. Porém, cerca de 93% de sua formação original já foi devastada, e junto com ela, todo o pau-brasil!

É encontrado do Ceará ao Rio de Janeiro na floresta pluvial Atlântica, sendo particularmente frequente no sul da Bahia.

O cerne vermelho do pau-brasil.

Madeira

A madeira do pau-brasil e de excelente qualidade, muito pesada, dura, compacta, vermelha e muito resistente; de textura fina, incorruptível.

Utilidade

Os índios brasileiros já utilizavam esta árvore para confecção de arcos, flechas, extraindo corante vermelho intenso do tronco.
A madeira atualmente é empregada somente para pequenas marcenarias e confecção de arcos de violino ( e outros instrumentos )

O arco do violino "precisa" do pau-brasil

Outrora foi muito utilizada na construção civil e naval e, trabalhos de torno. Entretanto, seu principal valor residia na produção de um princípio colorante denominado "brasileína", extraído do lenho e, na época muito usado para tingir tecidos e fabricar tinta de escrever. A sua exploração intensa gerou muita riqueza aos exploradores e caracterizou um período econômico de nossa história, que estimulou a adoção do nome "Brasil" ao nosso país.


Meus filhos e eu, à uns dezessete anos atrás, plantamos em nosso jardim duas mudas de pau-brasil. Uma sei que ainda está lá, embora cresça muito devagar...este ano já me propus plantar outra, no parque de meu bairro...
E você já viu algum pau-brasil? Já plantou algum? que tal plantarmos neste ano? O Brasil e a música agradecem!

sábado, 11 de novembro de 2017

- A VIRGEM de GUADALUPE -

Uma linda e comovente história onde, a Virgem Mãe mais uma vez, no ano de 1531, aparece quatro vezes à um simples cristão, um índio mexicano, nas colinas de Tepeyac, e "marca" sua aparição, através de sua imagem que aparece estampada na "capa" do próprio índio, como uma prova que o Bispo pedira...




Juan Diego Cuauhtlatoatzin, o humilde índio asteca, foi canonizado pelo Papa João Paulo II. 

Até hoje a ciência não consegue explicar como a imagem da Virgem, ficou impregnada no manto de Juan Diego, e nos seus olhos aparecem a imagem do índio, do Bispo e do intérprete, de forma impressionante, a mais de quatro séculos! Mesmo quando alguns anos atrás, peritos deixaram cair ácido corrosivo em todo o manto, "sem  querer",  a pintura NADA Sofreu...


 Análises da imagem de Guadalupe

Em primeiro lugar, chamou a atenção dos peritos a singular conservação do rude tecido da tilma (avental) de Juan Diego. Durante séculos, esteve exposto, sem maiores cuidados, aos rigores do calor, da poeira e da umidade, e mesmo assim sua tessitura não se desfibrou, nem tampouco se lhe desvaneceu a admirável policromia.

A matéria sobre a qual a imagem foi estampada é tecido confeccionado com fibra de ayate, da espécie mexicana Agave Potule zaac (*ou Agave sisalana, da família das suculentas?), que se decompõe por putrefação aos 20 anos, aproximadamente. Em contraposição, o avental de Juan Diego já dura 450 anos sem se rasgar nem se decompor e, por motivos inexplicáveis, é imune à umidade e à poeira.

Atribuiu-se essa virtude ao tipo de pintura que cobre o pano, a qual poderia atuar como matéria protetora. Em conseqüência, foi enviada uma amostra para ser analisada pelo cientista alemão e Prêmio Nobel de Química Richard Kuhn, cuja resposta deixou perplexos os consultantes. Os corantes da imagem não pertencem nem ao reino vegetal, nem mineral nem ao animal, afirmou o pesquisador.

Pensou-se, então, que a tela estivesse tratada por um procedimento especial. Mas de que consistência seria essa preparação da tela para que a pintura pudesse aderir e se conservar incólume sobre matéria tão frágil e perecível como é o ayate?

Mais: confiaram a dois estudiosos norte-americanos - o doutor Calagan, da NASA, e o professor Jody B. Smith, catedrático de Filosofia da Ciência no Pensacolla College - a tarefa de submeter a imagem à análise fotográfica com raios infravermelhos.

As suas conclusões foram as seguintes:
1a. O ayate - tela rala de fio de magüey - não possui preparação alguma, o que torna inexplicável, à luz dos conhecimentos humanos, que os corantes impregnem fibra tão inadequada e nela se conservem.
. Não há esboços prévios, como os descobertos pelo mesmo processo nos quadros de Velázquez, Rubens, El Greco e Ticiano. A imagem foi pintada diretamente, tal qual a vemos, sem esboços nem retificações.
3ª. Não há pinceladas. A técnica empregada é desconhecida na história da pintura. É inusitada, incompreensível e irrepetível.


Fonte deste última parte: Análise da Imagem de Guadalupe

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

IPÊ-AMARELO - A FLOR SÍMBOLO do BRASIL.


Ipê-amarelo - o símbolo da nossa Pátria.

A árvore brasileira mais conhecida, mais cultivada e; para a maioria dos brasileiros; a mais bela, é justamente a árvore símbolo do nosso país: o Ipê-amarelo.

Não há região do país onde não exista pelo menos uma espécie dele. Mas, na verdade, o Ipê compreende um complexo de nove ou dez espécies com características mais ou menos semelhantes, com flores brancas, amarelas, rosas ou roxas.

Os Ipês amarelo, rosa, branco e o roxo.

A espécie antes chamada Tabebuia alba, agora recebe o nome de Handroanthus albus nativa do Brasil, é uma das espécies do gênero Handroanthus (antes denominado Tabebuia) que possui “Ipê Amarelo” como nome popular. O nome alba provém de albus (branco em latim) e é devido ao branco dos ramos e folhas novas.

Ipê-amarelo ou Handroanthus alba, 
nativa brasileira.

Hoje, a maioria dos genêros Tabeluias passaram a chamar-se Handroanthus em homenagem ao botânico brasileiro Oswaldo Handro (1908-1986) (wikipédia).  O único ipê amarelo do Brasil pertencente ao gênero Tabebuia é "Tabebuia ochracea". Correção feita em 11/07/16 pelo leitor, Sr. Dr. em História Natural Walter Handro, a quem sou grata!

Assim as denominações mais conhecidas são:
do ipê amarelo da Flor Nacional - (Handroanthus vellosoi); do ipê-amarelo mais comum em todo país (Handroanthus serratrifolia) , o ipê-amarelo-da-serra (ouro ou mandioca) (Handroanthus alba); Handroanthus arianeae, uma espécie de ipê-amarelo nativa dos cerrados, da caatinga e do Pantanal Mato-Grossense; do ipê-roxo (Handroanthus avellanedae), do ipê-branco (Handroanthus  roseo-alba) e do rosa (Handroanthus rosea).

"Caminho de Ipês" Handroanthus chrysotricha - Reserva
Ambiental da EMBRAPA Suínos e Aves Concórdia - SC. 


A Handroanthus chrysotricha é uma das espécies nativas de ipê-amarelo que ocorre na Mata Atlântica, desde o Espírito Santo até Santa Catarina. Este nome científico (chrysotricha) é devido à presença de densos pêlos cor de ouro nos ramos novos.

Ipê Verde
Há até mesmo um ipê verde (Cybistax antisyphilitica ), que não é do gênero Handroanthus nem Tabebuia, cuja florada se confunde com a folhagem.

Conhecendo o IPÊ

Ipê-amarelo
Nomes comuns: ipê-amarelo, ipê-do-cerrado, pau-d’arco amarelo.
Nome Científico:
  - Handroanthus vellosoi - a da Flor Nacional (flores amarelas)
  - Handroanthus serratifolia - a mais comum (também flores amarelas)
Família: Bignoniaceae
Etimologia: ‘tabebuia’, do tupi, significa pau que não afunda; ‘serratifolia’ descreve suas folhas de bordas serreadas.
Hábito: árvore de grande porte (entre oito e 20m), decídua.
Conservação: árvore protegida, juntamente com outros ipês, como Patrimônio Ambiental.
Raiz: profunda pivotante.
Tronco:de 40 a 70 cm de diâmetro
Copa: colunar arredondada.
Sombreamento: médio.
Folha: composta, margens serreadas, variando entre cinco e 18 cm de comprimento e 3 a 7 cm de largura.
Flor: cinco pétalas fundidas, amarelas em cacho, muito vistosas, que surgem entre julho e novembro.    Possuem em média 8x15 cm. Sendo a polinizadas é feita por abelhas e pássaros. Primeira floração em média depois de 04 anos de vida.
Fruto: Vagem de 35 cm, verde e lisa ou cápsulas secas, verrucosas, cilíndricas, castanhas, anuais (set/out/nov/dez/jan).
Sementes: Aladas, brancas, pequenas com 3 cm de comprimento. São dispersas pelo vento.


Fruto "maduro" do Ipê,
 pronto para lançar as sementes

Como é a árvore

Encontrar o ipê em seu habitat natural, é cada vez mais raro entre a maioria das espécies, como então, é muito difícil encontrar uma árvore de ipê-amarelo em meio à mata nativa. Esta, se encontrada, poderia atingir até 30 metros de altura.

O ipê em flor no meio da mata, contrasta com o verde das outras árvores, um dos motivos da sua perseguição por parte de madeireiros: quando florido é fácil ser encontrado!


Imenso Ipê florido no Jardim Botânico de Curitiba PR

Os demais Ipês, dependendo da espécie, pode atingir entre 4 e 25 metros de altura. Possui lenho forte e resistente.
A planta é hermafrodita, e frutifica nos meses de setembro, outubro, novembro, dezembro, janeiro e fevereiro, dependendo da sua localização. Em cultivo, a espécie inicia o processo reprodutivo após o terceiro ano.


Ipê-do-cerrado ou Tabeubuia aurea

O tronco do Ipê é reto ou levemente tortuoso, casca externa grossa, cinza-rosa, com fissuras longitudinais esparsas e profundas. A madeira possui cheiro e gosto distintos.

As flores  meleiras e por sua exuberância, atraem abelhas e pássaros, principalmente beija-flores e insetos de diversos portes incluindo a abelha Mamangava (Bombus morio), que são importantes agentes polinizadores.

Beija-flor um dos agentes polinizadores do Ipê.

Na floração, o ipê perde suas folhas, resultando num belíssimo espetáculo de intensa cor amarela, onde ramos e galhos praticamente desaparecem. A floração do Ipê-Amarelo (e da maioria dos Ipês) ocorre no mês de Agosto, no final do inverno, logo sua floração é influenciada por ele. Quanto mais frio e seco o clima, mais intensa a florada.

Semente aladas.
As sementes, dispersas pelo vento, não têm dormência. Podem apenas ser expostas ao sol por cerca de 6 horas, devem ser semeadas diretamente nos saquinhos. A germinação ocorre após trinta dias.

O ipê-amarelo é uma espécie heliófita (planta adaptada ao crescimento em ambiente aberto ou exposto à luz direta) e decídua (que perde as folhas em determinada época do ano).

Habitat Natural e denominações

No Norte, Leste e Nordeste do Brasil, são mais conhecidos como pau d’arco (os indígenas utilizavam a madeira para fazer arco e flecha); no Pantanal Mato-Grossense, como peúva (do tupi, árvore da casca); e, em algumas regiões de Minas Gerais e Goiás, como ipeúna (do tupi, una = preto).



Rio das Lontras na divisa entre as cidades
de São Pedro de Alcântara e Águas Mornas SC


Ocorrência
Da Hidroanthus serratifolius: Floresta tropical úmida da região amazônica e atlântica, florestas estacionais, cerrado e cerradões

Distribuição:
Hidroanthus serratifoliusDF, AP, AM, BA, CE, GO, MA, MG, MT, MS, PA, PE, PI, RR, SP e TO.
Hidroanthus vellosoi : Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso, Goiás e Rio de Janeiro.

Tronco médio a grosso, resistente.

Madeira
Sua madeira é resistente porém flexível, pesada, e tem grande durabilidade, mesmo em condições adversas É imune à maioria das pragas e às inundações.

Utilidades
Muito utilizado em paisagismo de parques e jardins pela beleza e porte e na arborização urbana; como em recuperação de áreas degradadas.

Casa antiga de madeira (tipo Ipê) Antonio Prado RS

Conhecidos por sua beleza e pela resistência e durabilidade de sua madeira, os ipês foram muito usados na construção de casas e telhados de igrejas dos séculos XVII e XVIII. E graças à estrutura feita com sua resistente madeira, casas e igrejas de 300, 400 anos permanecem de pé mesmo depois que a alvenaria e o telhado se foram. Se não fosse pelos ipês, muitas dessas construções teriam se  perdido com o tempo.


Porto Velho, capital de Rondônia, onde um Ipê
"poste" teima em  florescer a mais de 20 anos.


Até hoje a madeira do ipê é muito valorizada, sendo bastante utilizada na construção civil e naval; cercas, molduras, postes, tábuas, rodapés.
Também é utilizada para fabricação de dormentes, moirões, pontes, postes, eixos de roda, varais de carroça, moendas de cana, etc.

Os ipês também são usados para fins medicinais, embora o assunto seja visto com cuidado pela comunidade científica. No entanto, no século 19, Von Martius já relatava o uso do ipê contra sarna, artrite, leucorreia.

O cientista Walter Accorsi, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Piracicaba, São Paulo), e equipes multidisciplinares pesquisaram e concluíram: substâncias da casca do ipê-roxo são indicadas para leucemia, bronquite, infecção, úlceras, eczema, estomatite, neoplasias (câncer).


Linda Avenida de Ipês em Pato Branco - PR.

A tabebuia aurianeae, uma espécie de ipê-amarelo nativa dos cerrados, da caatinga e do Pantanal Mato-Grossense, (e parece ser a única que ficou com o gênero Tabebuia) é muito usada na medicina caseira em algumas regiões do país, principalmente no Nordeste. A entrecasca do caule é empregada no tratamento de gripes e resfriados e a casca, no tratamento de inflamações em geral. 

A casca do ipê-roxo curativa.


A casca da  Handroanthus avellanedae, ipê-roxo que ocorre em todo o Brasil, é usada, sob a forma de chá, como diurético e no combate a infecções, ao impetigo, a alguns tipos de câncer, de lupus, doença de Parkinson, psoríase e alergias.

A entrecasca do ipê-amarelo possui propriedades terapêuticas como adstringente, usada no tratamento de garganta e estomatites. É também usada como diurético.

Será que era por todos esses efeitos curativos que os antigos incas chamavam o ipê de “planta mestra”? ou ela ainda guarda, além disso, maiores segredos...


Uma linda espécime de IPÊ nativo.

Daí da para deduzirmos que, encontrar um Ipê, principalmente em meio a uma mata nativa, deverá ser um motivo de agradecimento e reverência a uma das árvores mais bonitas, úteis e resistentes, cuja flor simboliza o Brasil.
_____   ***   _____

Se quiser ler sobre o Pau-brasil, a árvore que deu o nome ao nosso país e é nosso símbolo, clic:

Pesquisado e Compilado por Geni Mafra Souza
Principais fontes:
CARVALHO, P.E.R. Espécies florestais brasileiras. Recomendações Silviculturais, potencialidades e uso da madeira.EMBRAPA-CNPF. Brasília. 1994. 640p.
LORENZI, Harri. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil, vol. 01, 4 ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2002
RIZZINI, Carlos Toledo. Árvores e Madeiras Úteis do Brasil. Manual de Dendrologia Brasileira. São Paulo: Editora Edgard Gomide Blucher. 1971.

Com o auxílio dos sites:
www.invivo.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=884...
www.almanaquebrasil.com.br/curiosidades.../7173-flor-nacional.html
pt.wikipedia.org/wiki/Ipê-amarelo-da-serra
naturezadivina.org/textos/ipe-amarelo-da-serra-tabebuia-alba/
http://www.ipef.br/identificacao/tabebuia.alba.asp
https://pt.wikipedia.org/wiki/Handroanthus